Nutrição, Doenças do Coração e Diabetes – Introduçao à Doença Cardiometabólica

Nutrição, Doenças do Coração e Diabetes

Terminei há alguns dias o curso Nutrition, Heart Disease and Diabetes, curso online oferecido pela Universidade de Wageningen, na Holanda, por meio da plataforma edx.

Este curso, todo em inglês, é dividido em cinco módulos, consistindo em vídeos, textos para leitura e questionários de avaliação, podendo ser acessado gratuitamente (mas sem oferecer certificado nesta modalidade). Os assuntos tratados em cada módulo são:

  • Módulo 1: Introdução à Doença Cardiometabólica
  • Módulo 2: O Papel da Dieta – Prevenção de Doença Cardiometabólica
  • Módulo 3: Patofisiologia da Doença Cardiometabólica
  • Módulo 4: Aspectos Moleculares
  • Módulo 5: Estratégias Nutricionais para Reduzir as Doenças Cardiometabólicas.

Nesta sequência de posts irei resumir o que aprendi neste curso, de modo a compartilhar minhas anotações e informações que acredito serem úteis e importantes para muitas pessoas.

Módulo 1 – Introdução à Doença Cardiometabólica

As doenças cardiometabólicas são um dos maiores problemas de saúde pública da atualidade. Trata-se de um grupo de doenças relacionadas à nutrição, e que constituem a maior causa de mortalidade ao redor do mundo.
Cerca de 18 milhões de pessoas morrem todo por conta desse tipo de moléstias, o que constitui cerca de 1/3 das mortes totais.

Além disso, as doenças cardiometabólicas tem um custo muito pesado para a sociedade, pois são responsáveis por milhões de hospitalizações, tratamentos médicos, gastos com medicamentos, e impedem que muitas pessoas tenham uma vida normal e produtiva.

O que chamamos de doenças cardiometabólicas na verdade constitui um grupo de doenças inter-relacionadas, que incluem:

  • Doença Coronária do Coração (Doenças do Coração)
  • Diabetes tipo 2
  • Hipertensão Arterial
  • Acidente Vascular Cerebral (AVC)
  • Doença Crônica dos Rins

Entre outras.

Doenças do Coração e Cardiovasculares

Essas doenças são causadas, na grande parte dos casos, pelo estilo de vida moderno. Por exemplo, ao menos 80% das doenças cardiometabólicas são causadas pelo hábito de fumar, ingestão de comida não saudável (como fast-food) e falta de exercícios físicos. Predisposição genética também tem influência sobre a ocorrência dessas doenças, mas isso explica menos de 10% dos casos observados. Mesmo pessoas com predisposição genética a desenvolver esses tipos de doenças podem levar uma vida normal – e não desenvolvê-las – se viverem uma vida saudável.

Doenças Cardiovasculares (DCV)

Uma doença cardiovascular se refere a um grupo de doenças que envolvem o coração e os vasos sanguíneos. Acumulação de gordura dentro das artérias, e o surgimento de coágulos sanguíneos são comuns neste tipo de doenças. E ambos podem obstruir o fluxo de sangue no corpo, o que ocasiona inúmeros problemas, alguns muito graves.

O principal tipo de DCV é a doença coronária do coração, que se caracteriza por altos níveis de colesterol do tipo LDL, que é o chamado “colesterol ruim”. Altos níveis de colesterol levam à formação de camadas de gordura nas paredes internas das artérias, e que podem se transformar em placas, um processo denominado “Aterosclerose”. Quando essas placas se rompem, são formados coágulos sanguíneos (trombos), que acabam por bloquear o fluxo de sangue na artéria. Desta forma, menos oxigênio é carregado para os tecidos do corpo.

Se isso ocorre dentro das artérias coronárias do coração, é possível que tecido muscular do coração seja perdido (morra), causando um infarto do miocárdio ou ataque do coração. Mas isso não é o pior – na verdade, pode acabar ocorrendo uma parada cardíaca, causada por um ritmo irregular de batimentos cardíacos ou por um processo chamado de fibrilação ventricular, e isso comumente lava à morte.

Um processo semelhante pode ocorrer no cérebro, chamado de AVC. Isso ocorre quando uma veia que alimenta o cérebro é bloqueada, geralmente por um coágulo. Ou ainda, pode ocorrer um derrame hemorrágico, no qual uma veia do cérebro estoura, e uma hemorragia ocorre. Geralmente isso é causado por hipertensão (pressão alta) não controlada. Se muitas células do cérebro forem afetadas, haverá dano permanente, geralmente resultando em morte.

Na verdade, muitas outras doenças são causadas por problemas similares. Problemas de circulação gerais, nos rins, até mesmo dificuldades de locomoção, e dores em certas partes do corpo são causadas por doenças cardiovasculares.

Diabetes Mellitus

O diabetes é uma doença muito comum, sendo uma condição crônica na qual o nível de glicose no sangue se torna muito alto (hiperglicemia), por conta de problemas com um hormônio chamado de insulina. Se a diabetes não é controlada, ocorrem sérias consequências na saúde e bem-estar do individuo afetado.

Estima-se que haja hoje cerca de 415 milhões de pessoas afetadas pelo diabetes no mundo, e este número tende a crescer. Metade dos adultos com diabetes no mundo se encontram em cinco países: China, Índia, EUA, Indonésia e aqui no Brasil. Cerca de metade das pessoas que tem diabetes não sabe que tem a doença!

Quando os níveis de glicose no sangue se tornam cronicamente elevados, problemas graves ocorrem nos órgãos internos, nervos e vasos sanguíneos.

Tipos de Diabetes

Há vários tipos de diabetes.

  • Diabetes tipo 1: Geralmente causada por vírus ou por uma desordem autoimune (mas não há consenso ainda a respeito). Ocorre quando determinadas células do pâncreas – as células beta – são destruídas. E são justamente as células beta que produzem o hormônio insulina, que é responsável por diminuir o nível de glicose no sangue. Sem as células beta, o corpo não produz mais insulina, e os pacientes acabam necessitando de injeções de insulina constantemente. Não há cura para este tipo de diabetes, e nem se sabe como preveni-la. Ela ocorre geralmente em crianças e adolescentes, seno responsável por cerca de 5% dos casos de diabetes totais.
  • Diabetes tipo 2: Neste tipo de diabetes, o corpo não produz insulina em quantidade suficiente, ou não consegue utilizar a insulina produzida. Ocorre ao longo do tempo um processo denominado “Resistência à insulina”, causado por alimentação inadequada e falta de exercícios. Pessoas obesas tem uma tendência maior a contrair diabetes tipo 2. A maior parte dos casos de diabetes é deste tipo.
    Pessoas com esta doença tem um grande risco de desenvolver problemas vasculares, infarto do miocárdio, AVC e outros problemas cardiovasculares. Problemas microvasculares podem ocorrer, por exemplo levando à cegueira, problemas de locomoção e falhas nos rins.
  • Diabetes Mellitus Gestacional – Afeta mulheres grávidas, causando hipertensão arterial e aumentando o risco de desenvolvimento de diabetes tipo 2 mais tarde na vida (de 5 a 10 anos após o parto). Pode causar complicações durante o parto, incluindo a perda do bebê.

É muito importante verificar o nível de glicose no sangue, para saber se há algo errado e tentar se prevenir, ou remediar, um possível problema de diabetes.

Mensuração Epidemiológica

Ao estudar fatores de risco para doenças, os cientistas usam formas de mensuração (medidas) da frequência com a qual as doenças ocorrem na população. Alguns dos termos comumente empregados são:

  • Prevalência – Número de casos existentes de uma doença em uma população em um determinado momento do tempo. Dividimos o número de pessoas com a doença pelo número total de pessoas para obter a proporção de prevalência. Por exemplo, se 500 pessoas tem uma doença do coração em uma população de 20.000 pessoas, a prevalência é de 500 / 20000 = 0,025 = 2,5%
  • Incidência – Número de novos casos de uma doença em uma população em um período de tempo especificado. Ao dividir o número de novos casos pelo total da população, temos a proporção de incidência. Por exemplo, se 100 pessoas de um total de 2000 (de um grupo de risco) desenvolverem doença cardíaca no período de um ano, a incidência será de 0,05 ou 5% ao ano.
  • Mortalidade – O mesmo que morte. A taxa de mortalidade é a divisão do número de mortes, de uma causa específica, pelo número de pessoas em um período de tempo específico. Não confundir o termo mortalidade com Morbidade, que significa doença. Este termo é usado geralmente para doenças crônicas, como doença do coração e diabetes. É importante notar que uma pessoa pode ter mais de uma doença ao mesmo tempo, e isso recebe o nome de co-morbidade.
  • Anos de Vida Ajustados por Incapacidade – Combinação da mortalidade com a morbidade em um único número. É a soma dos anos de vida perdidos devido a uma doença específica com os anos de vida saudável perdidos devido a uma doença específica.

No próximo post continuarei com o resumo, falando sobre fatores de risco e outros tópicos.

 

Um comentário em “Nutrição, Doenças do Coração e Diabetes – Introduçao à Doença Cardiometabólica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *