Conheça o Baobá, uma das árvores mais majestosas e peculiares do mundo

Baobá, uma das árvores mais magníficas que existem

Baobá - Adansonia grandidieri
Baobá do Madagascar – Adansonia grandidieri. Imagem: Bernard Gagnon – Fornecida sob licença Creative Commons CC BY-SA 3.0

Damos o nome genérico de Baobá às árvores do gênero Adansonia, que possui nove espécies no total. Seis dessas espécies são nativas do Madagascar, duas das savanas da África continental (e na península arábica), e uma delas é nativa da Austrália.

É interessante notar que as espécies africanas e a espécie australiana são praticamente idênticas, mesmo tendo se separado há mais de 100 milhões de anos.

Os baobás são árvores majestosas, podendo alcançar entre 5 e 30m de altura, e são notáveis pelo diâmetro do tronco, que pode ter entre 7 e 15m, com circunferência de até 47m em casos isolados.

Eles podem viver por centenas de anos, sendo que um exemplar em particular foi datado como tendo mais de 1275 anos de idade, de acordo com datação por radiocarbono (eles não possuem anéis de crescimento anual, por isso a datação deve ser feita por outros métodos).

Baobá Adansonia gregorii
Adansonia gregorii – By Nachoman-au – Own work, CC BY-SA 3.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=482474

O baobá foi “descoberto” (para os ocidentais, claro) pelo naturalista francês Michel Adanson (daí o gênero Adansonia, batizado por Linnaeus), que teve seu primeiro encontro com uma dessas árvores em agosto de 1749, na ilha de Sor, no Senegal. De acordo com a história, ele havia saído com nativos da região para caçar antílopes, e em dado momento avistou um espécime de baobá, que foi descrito por ele em seu livro Voyage en Senegal como:

Eu deixei de lado todos os pensamentos a respeito da caça, assim que percebi uma árvore de espessura prodigiosa, que chamou minha atenção … Estendi os braços, o mais amplamente que pude, treze vezes, antes de abraçar sua circunferência; E para uma maior exatidão, eu a medi com barbante e descobri que tinha sessenta e cinco pés (19,81m)”

Espécies

As nove espécies conhecidas de baobás são as seguintes:

  • Nativos da África Continental:
    • Adansonia kilima Pettigrew, et al.
    • Adansonia digitata L. (também península arábica)
  • Nativas do Madagascar:
    • Adansonia grandidieri Baill.
    • Adansonia madagascariensis Baill.
    • Adansonia perrieri Capuron
    • Adansonia rubrostipa Jum. & H.Perrier (syn. A. fony)
    • Adansonia suarezensis H.Perrier
    • Adansonia za Baill.
  • Baobá australiano:
    • Adansonia gregorii F.Muell. (syn. A. gibbosa)

Características

A característica mais marcante dos baobás é sua capacidade de armazenar grande quantidade de água no tronco, podendo chegar a cerca de 120.000 litros, dependendo da espécie. Eles armazenam toda essa água de modo a sobreviver quando as condições ambientais se tornam extremas, com falta de chuvas e secas que podem durar muito tempo.

Além disso, os baobás são árvores decíduas, o que significa que perdem as folhas em determinas épocas. No caso, eles perdem as folhas na época da seca.

Baobá bebê
Muda de Baobá, cultivada pelo autor. Foto: Fábio dos Reis.

Curiosidades

Algumas das espécies de baobás são usadas com fontes de fibras, pigmentos e combustível. Além disso, seus frutos podem ser consumidos, assim com suas sementes, que geralmente são consumidas assadas. Inclusive, o fruto seco é usado para fazer sorvete em Angola, e bebidas no Zimbábue.

Flor de Baobá (Adansonia digitata)
Flor de Baobá (Adansonia digitata). Autor: Atamari. Foto usada sob licença Creative Commons CC BY-SA 3.0

Além disso, suas folhas e flores também são comestíveis, mas sua madeira não serve para uso, pois é muito fibrosa e esponjosa (afinal, acumula água)

Há registros de que seus frutos eram comercializados em mercados no Cairo já no início do século XVI, trazidos aparentemente por caravanas de escravos vindos do Sudão em direção ao norte da África.

Avenida dos Baobás
Avenida dos Baobás – Imagem: Fox-Talbot –
Fornecida sob licença Creative Commons CC BY-SA 3.0

A árvore também está envolta em mistérios e deu origem a vários mitos ao longo dos séculos. Um dos mais conhecidos é um mito de criação da “árvore de ponta-cabeça”, que diz que “Quando Deus fez o mundo, deu a cada animal uma árvore. O Baobá foi dado à hiena, porém ela o recusou e o jogou fora. A árvore caiu no chão, de ponta-cabeça, e isso deu origem à sua forma extraordinária”.

Fruto do Baobá
Fruto do Baobá. Autor: Alex Antener. Foto usada sob licença Creative Commons CC BY-SA 3.0

Em muitas culturas o Baobá é tido como um presente dos deuses, sendo venerado ao ponto de serem feitos funerais quando essas árvores morrem, em alguns locais, como por exemplo em Burkina Fasso, pelos povos Kassalongo e Marka.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *